domingo, 12 de agosto de 2012

Motivos porque o Brasil DEVERIA ser o país do futebol...

1) A BOLA:
A bola pode ser qualquer coisa remotamente esférica. Até uma bola de futebol serve!! No desespero, usa-se qualquer coisa que role, como uma pedra, uma lata vazia ou a lancheira do irmão menor.

2) O GOL:
O gol pode ser feito com o que estiver à mão: tijolos, paralelepípedos, camisas emboladas, chinelos, os livros da escola.

3) O CAMPO:
O campo pode ser só até o fio da calçada, calçada e rua, rua e a calçada do outro lado e, nos grandes clássicos, o quarteirão inteiro.


4) DURAÇÃO DO JOGO:
O jogo normalmente vira 5 e termina 10, pode durar até a mãe do dono da bola chamar ou escurecer. Nos jogos noturnos, até alguém da vizinhança ameaçar chamar a polícia.

5) FORMAÇÃO DOS TIMES:
Uniforme? Jamais!!! Varia de 3 a 70 jogadores de cada lado... O "ruim" sempre vai para o gol. Perneta joga na ponta, esquerda ou direita, dependendo da perna que lhe faltar. Quem estiver de óculos é meia-armador, para evitar os choques. E gordo é beque.

6) O JUIZ:
Não tem juiz!!!


7) AS INTERRUPÇÕES:
No futebol de rua, a partida só pode ser paralisada nas seguintes eventualidades:

a) Se a bola cair no quintal da vizinha chata. Neste caso os jogadores devem esperar 10 minutos pela devolução voluntária da bola.

b) Se isso não ocorrer, os jogadores devem designar voluntários para bater na porta da casa e solicitar a devolução, primeiro com bons modos e depois com ameaças de depredação.

c) Quando passar na rua qualquer garota com características que nos fazem ficar sonhando á noite.

d) Quando passarem veículos pesados (de ônibus prá cima...)

e) Bicicletas e Fusquinhas podem ser chutados junto com a bola e, se entrar, sempre será Gol!!!

8) AS SUBSTITUIÇÕES:
São permitidas substituições apenas nos casos de:

a) Um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer lição.

b) Jogador que arrancou o tampão do dedão do pé. Porém, nestes casos, o mesmo acaba voltando a partida após utilizar aquela água santa da torneira do quintal de alguém.

c) Em caso de atropelamento...


9) AS PENALIDADES:
A única falta prevista nas regras do futebol de rua é atirar o adversário dentro do bueiro. O resto é considerado tudo jogo de corpo...

10) A JUSTIÇA ESPORTIVA:
Os casos de litígio serão resolvidos na porrada, prevalece os mais fortes ou, então, quem pegar uma pedra antes...

A propósito: QUEM NUNCA JOGOU UM FUTEBOL DE RUA, PERDEU UM DOS MELHORES MOMENTOS DA VIDA!!!

9 comentários:

  1. Os casos de litígio serão resolvidos na porrada

    não tem palavrão no site ou o dono não sabe ler?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que honra existe em corrigir os outros sendo anônimo? E ainda dando mancada...

      Excluir
  2. porrada é palavrão? acho que vc sabe ler mas pensar que é bom, nada.

    ResponderExcluir
  3. faltou dizer que esse texto encontra-se na coleção Para Gostar de Ler - Vol. 7, de Vários autores.

    Parte 4 - • Futebol de rua - Com humor peculiar, Veríssimo elabora um manual de intrução sobre futebol de rua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MUITO BOM!!!!!!!

      Excluir
    2. É VERDADE MESMO. QUANDO EU TINHA UNS 8, 9, 10 ANOS, NA CIDADE QUE EU MORAVA (ASSIS SP ) NÃO TINHA ESQUINA QUE NÃO TIVESSE UM TIMINHO DE FUTEBOL. QQUER TERRENO VAGO QUE TIVESSE UM GRAMADINHO, VIRAVA UMA VERDADEIRA ARENA SEM MUROS E PORTÕES. E COMO TINHA GRAMADOS POR LÁ. QUANDO CHEGAVA A BOLA, CHOVIA MOLEQUE DE TODOS OS LADOS. OS TIMES ERAM ESCOLHIDOS NA BASE DO PAR OU IMPAR. PUTZ QUE SAUDADES.

      Excluir
  4. Muito boa a publicaçao...mas como tem gente chata heim???!!!!

    ResponderExcluir
  5. Prezado Anderson.

    Bons tempos aqueles das peladas (jogo de bola na rua, entendido?)que o tempo deixou como lembrança em nossa memória de criança. A gente jogava descalço, formava seleção de grandes atletas que ganhava de 7 a 0, não tinha essa de perder de 7 a 1, porem, quando a bola acertava os vidros da janela do vizinho, não ficava um jogador em campo para receber a bola de volta.
    Parabens pela matéria que nos faz retroceder no tempo e no espaço em que éramos crianças felizes e não sabíamos.

    Fraternalmente,

    Ambrósio da Cruz Viana
    Goiânia - GO

    ResponderExcluir
  6. Só de ler o texto, voltei a minha infância na comunidade onde eu morava,o nome do capo era calçadinha, no nosso era dez minutos ou dois gols, já arranquei meu tampão do dedão também.

    ResponderExcluir

Nesse exato momento seu comentário está sendo analisado, e caso NÃO possua palavrões será aprovado dentro de alguns minutos..

AGRADECIDO por postar seu comentário!! Você está contribuindo ainda mais para melhorar esse espaço que é de todos!! :-)

Grande abraço em Cristo!!

Anderson Rieper